Austin

Caça Aos Murais

Quando eu era criança, eu me lembro de ouvir alguém dizer, em algum momento dessa fase, que algumas pessoas viam a vida de um jeito “cor-de-rosa”.

Demorou algum tempo pra que eu finalmente conseguisse entender que dizer isso, era na verdade, uma expressão para se referir a pessoas que viam a vida de uma forma diferente, quase ingênua. Sempre enxergando o que todos viam mas com olhos que só essas pessoas tinham. Olhos cor-de-rosa.

Desde que ouvi isso, e desde que desmistifiquei o que ouvi, eu nunca mais me esqueci. Desde sempre e até hoje, eu me pergunto se o que eu vejo é o mesmo do que todo mundo também vê.

Eu não me canso de ouvir todos dizerem que eu vivo num mundo só meu. Ouço todos falarem que esse “mundo” dentro da minha cabeça me tem por mais tempo do que o mundo que todos chamam de “vida real”.

Por exemplo, não há uma só vez em que eu ande de carro, e vejo a vida passando rápido pela janela, que eu não me lembre sobre a tal expressão dos olhos cor-de-rosa.

Por muitas vezes eu precisei de mais tempo do que o necessário para me convencer de que os meus olhos não tinham uma retina especial, uma película invisível ou uma lente natural de cor diferente.

Tudo para que eu me convencesse de que, o que eu via janela afora, era exatamente igual ao que todo mundo via. Mas acho que não seria uma surpresa descobrir que até hoje eu talvez me pergunte: será mesmo?

Apesar das loucuras e relevando as doidices, é um fato que algumas coisas que eu vejo, outras pessoas simplesmente não veem. E sim, também vice-versa.

Enquanto minha mãe dirige pedindo que eu preste atenção tanto em quem está na calçada quanto nos carros, motos e pedestres na rua, é bem provável que eu esteja prestando atenção em uma árvore florida em frente a uma casa perceptivelmente antiga, com um portão digno de casa-de-vó.

E enquanto observo as florzinhas, eu me pergunto se ali mora mesmo uma avó, e se aquela árvore tem alguma história, ou se ela nasceu sem querer e sem querer por ali ficou. Talvez fotos de família tenham sido tiradas junto daquela árvore e fico querendo saber se aos domingos, quando os netos pequenos vão almoçar, de longe eles reconhecem a casa da avó por causa da árvore florida.

Então o sinal abre, a árvore fica para trás, eu tento voltar a prestar atenção em minha mãe dirigindo e daquele segundo em diante eu provavelmente não me lembrarei mais daquela árvore. Assim segue a minha cabeça por todo o trajeto, durante todas as paradas, por todas as vezes em que eu ando de carro.

Desde que cheguei em Austin, comecei a pesquisar sobre todas as coisas legais que acontecem na cidade, e é uma unanimidade por todos os sites e posts, a indicação de que todos saiam, pelo menos uma vez, pela caça aos murais.

Eles se espalham por toda a cidade. De norte a sul, é possível encontrar paredões gigantes, preenchidos com desenhos tão grandes quanto às paredes, feitos com infinitas cores, todos em grafite.

Na realidade, quando Viviane, a amiga do meu pai que está se aventurando comigo, me disse que estava de bobeira alguns domingos atrás, e que super animaria de ir à caça dos murais comigo, eu não conseguia imaginar que seriam tantos.

Começamos com alguns que estavam por perto e por mais que eu tentasse localizar todos, chegamos a um ponto de tamanho desespero por encontrar o máximo de desenhos possíveis antes do sol ir embora, que já não nos restava senso de direção para percebermos que estávamos dando voltas e voltas no meio de Downtown e nos arredores.

Os posts que eu encontrei não conseguiram organizar as imagens por localidades próximas. Ou seja, saíamos de uma, íamos para outra, e quando chegávamos em alguma outra percebíamos que já tínhamos passado a metros dali.

No fim do dia, estávamos piores do que duas baratas tontas. Mas todas as fotos incrivelmente lindas fizeram tudo valer a pena.

Passamos nossa tarde nessa gostosa correria. Achando uma parede linda, tirando milhares de fotos, correndo de volta para o carro evitando pagar estacionamentos e imediatamente procurando uma nova ilustração escondida pela cidade.

Literalmente escondida! Muitas artes estão em estacionamentos, atrás de restaurantes, no meio de uma calçada ao longo da rodovia, em ruas sem saída ou dentro de becos não localizados no gps.

E mesmo tendo visitado X lugares diferentes, ainda não conseguimos encontrar todas. Talvez, nunca conseguiremos. E quem sabe, seja justamente essa a graça.

Estar dentro da minha cabeça é quase como estar numa caça aos murais coloridos dentro de uma cidade inteira! Existem um milhão de coisas acontecendo enquanto você procura por estes murais. As pessoas dessa cidade estão trabalhando, resolvendo problemas, se exercitando e simplesmente vivendo.

Mas enquanto tudo isso acontece, a sua atenção está naquilo que todos eles não vêem. A atenção da minha cabeça está naquilo que todos eles veem todos os dias, e por isso não são capazes de pararem para ver! Árvores floridas ou muros coloridos.

Uma parte de mim não consegue parar de tentar me convencer o quanto eu sou louca e o quanto todos estão certos em dizer que existe mesmo uma realidade paralela dentro de mim, e que somente os meus olhos são capazes de ver. O fantástico mundo que só eu habito.

Mas outra parte de mim, os ouve falando e ri disso tudo. Com óculos escuros de lentes cor-de-rosa, os braços apoiados e as pernas para cima, essa parte de mim abre um sorriso largo e torce para que apesar de tudo, eles estejam completamente certos. E que esse mundinho que realmente existe, nunca mude.

Essa parte de mim espera que esse mundo, que por enquanto só eu habito, aos poucos se expanda. E quem sabe um dia, eu consiga trazer outras pessoas para dentro dele. Para morar, viver e abrir os olhos e enxergar tudo aquilo que eu vejo! A vida toda de um jeito diferente.

Eu posso garantir com toda certeza que a minha sanidade mental me permite ter que, aqui dentro de mim, a vida também não é cor-de-rosa.

Mas em compensação, todo o resto se resume a um universo inteiro repleto de muros coloridos, desenhos gigantes, árvores lindas e uma imaginação completamente sem fim.


OS MURAIS




Greetings From Austin
720 S 1st St.
– A arte está bem no meio da rua e não é tão grande quanto parece, mas consegue ser mais linda pessoalmente do que pelas fotos.





You Make My Heart Sing
Threadgill’s, 301 W Riverside Dr
– É difícil achar esse mural apenas jogando o endereço no GPS! Ele está dentro do restaurante Threadgill’s, bem na entrada. Então, estacione o carro, ande alguns metros e ele aparecerá!





Cat!
E 6th St & SB I-35 Acess Rd
– Quando a ilustração é linda, imensa e ocupa um paredão inteiro dentro de um estacionamento, o desafio é sair legal na foto enquanto tenta pegar a arte toda.





Cat! part.2
E 6th Street
– Continuação do paredão que começa no estacionamento e segue pela avenida.





Cat! part.3
E 6th Street
– Outra tentativa de pose com enquadramento.





Quiet The Mind
717 E 7th Street
– Eu acho que vi um gatinho num posto de gasolina.





Esther’s Follies
525 E 6th Street
– Essa foto deu início a minha alegria de conseguir sentar para tirar fotos e ainda interagir com os murais!





Howdy Austin!
601 W 6th Street
– Quem me vê rindo com essa parede enorme no meio da avenida, nem imagina que eu tive que pedir pra um moço não aparecer na minha foto. 





Kung Fu Saloon
5th & Rio Grande
– Falha tentativa de copiar as artes marciais.
E não, nenhuma roupa íntima foi exposta durante essa sessão de fotos.





Kung Fu Saloon
5th & Rio Grande
– Pode parecer que não, mas a pose foi realmente espontânea.
A arte está na fachada inteira do estabelecimento do lado direito, no estacionamento.





Janis Joplin
E 7th Street
– Se não deu pra perceber, você precisa conferir pessoalmente, mas essa ilustração é gigantesca! Tem outro músico ao lado da Janis, caso você o conheça me diga quem é.




Charly & Margdu
6th & 7th
– É essa arte que determina o comecinho de um beco muito incrível.




– Sempre quis uma foto assim.





– A vida é muito curta pra ter vergonha de tirar fotos no meio da rua fazendo poses de modelo. Apenas faça.





I ❤ Austin
East 11th Street
– Fique atento quando estiver descendo a avenida, sentido ao Capitólio. Essa arte linda estará do seu lado direito, bem em frente às vagas de estacionamento na própria rua.
P.s: Eu estou apaixonada por ela.





Mexic-Arte Museum
419 Congress Ave
– Tente ao máximo visualizar uma fachada inteira com artes da cultura mexicana, e quando visitá-la me conte se amou como eu amei.





– Fala sério, olha essas cores.






– Eu amei essa foto!
Artista @reezruiz



 



914 N Lamar Blvd
– Fique de olhos nos estacionamentos!





– As fotos espontâneas são as melhores.





– Você precisa assumir que tem que ser muito genial para combinar galos com guitarras e fazer essa ideia ficar linda.





Pizza & Astronaut
1209 Red River Street
– Eu nunca pensei no quanto estacionamentos poderiam ser surpreendentemente lindos.





Whale





Punk by Truth





– Esse é só o começo da Guadalupe Street!





“Ele sorri, mas ela não vê”
Artista Briar Bonifacio
– Eu acho que acontece é o contrário…





Wasabi
Artista @dearninja





“Sorria agora. Chore depois.”
– Ou só sorria mesmo.





– Já é meu gatinho favorito.





Cat + Friends
2426 Guadalupe Street
É lindo, né?





Austintatious
23 rd St Artisan Market, 23rd & Gudalupe
– Eu acho que não dá pra ver, mas esse riso é de desespero porque nesse momento eu estava escorrendo e quase caindo.





– Essa arte imensa está dentro de um espaço aberto, provavelmente usado por feirinhas ou foodtrucks. Pretendo descobrir. 





– Poucas pessoas vão perceber, mas existe uma pomba voando nesta foto.





– Grandes paredes ilustradas foram feitas justamente para poses assim.





– Lembra dos lugares para sentar?





Hi, How Are You
Guadalupe & 21st
– Foi quase um “How You Doing?”





É difícil descrever a minha raiva quando vi que violaram essa ilustração. Mas ainda assim, fiz questão da foto justamente para mostrar que ela continuou sendo incrível.



DICAS!

  • Pesquise todos os murais que deseja procurar e anote as suas localidades! Não siga o meu exemplo e evite dar voltas desnecessárias pela cidade.
  • Use sapatos e roupas confortáveis, a caça aos murais fica cada vez mais divertido então vá preparado.
  • Não saia de casa sem protetor solar e não esqueça de levar água. É sério, o calor daqui é muito quente!
  • Descarregue o celular antes de ir à caça, não tenha vergonha de fazer poses e se divirta!

  veja mais de Austin comigo em:
Instagram | Facebook


Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s