Crônica

Uma nova jornada.

Ontem eu comecei uma nova jornada. Essas típicas jornadas longas, complicadas, turvas, cheia de curvas e que dão sentido a famosa expressão dos “altos e baixos”.

Antes de oficialmente começar essa jornada, eu já tinha começado a pensar nela, e só de PENSAR nela, eu me encontrei no primeiro “baixo” que ela poderia oferecer.
A dúvida.

E se não der certo? Eu pensei sem nem ter começado a tentar. E se nada for como o planejado? Eu pensei sem nem ter começado a planejar nada. Mas e se for impossível e decepcionar todos que estão esperando uma resposta de mim? Eu pensei sem nem lembrar que o impossível não existe e que a única pessoa que estava esperando por uma resposta minha era eu mesma.

Por outros fatores além da minha loucura, ontem foi o dia oficial de começar essa jornada. Dar um primeiro passo. Abrir a primeira porta. Receber o primeiro não.

E, diferente de todos os outros dias anteriores ao dia de ontem, em que eu já tinha declarado a minha própria derrota sem nem o menos tentar uma vitória, eu não me vi uma perdedora. Eu não me vi uma desistente. Eu não me vi uma incapaz. Eu me vi, depois de muito tempo, sendo o que eu sempre soube que eu era mas que por algum motivo ao longo do tempo eu me esqueci de ser, uma insistente.

A jornada que eu comecei ontem está longe de acabar. E mesmo antes de começá-la, algo em mim já tinha me avisado disso, e eu ouvi e concordei. Quando o primeiro passo foi dado, a primeira porta foi aberta e o primeiro não foi ouvido, eu me senti preparada pra todos os outros “baixos” que ainda estão por vir.

Eu já experimentei a tristeza, a angústia e a indecisão de viver uma vida inteira dentro da minha própria cabeça sem me propor a viver a vida de verdade. E não foi isso o que eu fiz ontem. Eu vivi da porta pra fora com a minha cabeça dentro de mim trabalhando comigo e não contra mim.

Apesar de eu saber que o semblante que eu carreguei ontem durante o dia transmitia preocupação, inquietude e ideias trabalhando a todo vapor, por dentro eu não estava conseguindo pensar em nada. O meu corpo, a minha mente e o meu coração estavam apenas absorvendo a sensação de começar um novo capítulo na minha vida.

E que, se for parar pra pensar, é uma das primeiras vezes que eu faço algo por mim ao invés de fazer algo que já tinham pensado pra mim antes.

Mas agora, depois de oficialmente começar essa jornada, eu me encontro no primeiro “alto” que ela pode me oferecer. A tentativa.

E embora o resultado do dia não tenha sido positivo, com um “SIM” em letras maiúsculas e entregue de bandeja, terminar o dia com a sensação de que os próximos passos já estão a minha espera foi maravilhoso.

Se todas as tentativas dessem certo de primeira, nada na vida teria graça. O processo faz parte da conquista. De nada adianta querer chegar logo no final sem aproveitar todos os dias únicos, inéditos e cheios de surpresas que estão ao longo da jornada.

O problema disso tudo está também na solução. Uma frase básica, completamente óbvia mas que também dá sentido a expressão “fácil de falar, difícil fazer”.

Viver, dar sempre o seu melhor e lutar pelos seus sonhos.

Clichê, porém eficaz. Poucos são aqueles que conseguem por em prática, arrependidos são aqueles que viram a vida passar e entenderam tarde demais o sentido que cada palavra carrega nessa frase e ingênuos são aqueles que dão o seu máximo tentando sobreviver a cada dia de suas vidas almejando seus objetivos.

Ingênuos porque esses são os que vivem essa frase na pele, porém sempre acham que não estão dando o seu melhor e, por viverem com a constante cobrança de si mesmos, são únicos que são felizes e não sabem.

Viva. Dê sempre o seu melhor. Lute pelos seus sonhos. Não se cobre demais. Faça o que estiver no seu alcance. Não perca oportunidades. Viva. Aproveite a jornada.

Os resultados vão vir como consequência de tudo isso, e quando eles vierem, porque eles vão vir, os agarre e comemore!

Porque quando esse momento chegar, tudo o que poderá ser feito é olhar para trás e agradecer por ter vivido cada momento que te trouxe até aqui, pronto e preparado para dar um novo passo, abrir uma nova porta, encarar novos desafios e começar uma nova jornada.

Crônica

Você.

Uma das coisas mais lindas que você já me disse é que eu te faço se sentir amado. Eu, que amo te fazer se sentir amado, me senti amada como nunca antes ao ouvir essas palavras.

Eu não esperava. Eu não te esperava. Eu não esperava ter o que tenho, ter o que temos e, muito menos, ser o que somos.

Me parecia difícil de achar, complicado de se manter e impossível de acreditar que eu, logo eu, um dia realmente teria tudo aquilo que sempre quis ter com alguém. E melhor, que eu, logo eu, teria tudo o que nunca imaginei existir em alguém.

Eu realmente pensava que um dia teria o que eu sempre quis ter com alguém. Mas me parecia um caminho tão longo, com tão altos em baixos, sempre me via mais sozinha do que acompanhada. O mais ou menos nunca me agradou. Se não fosse pra ser inacreditavelmente incrível, não seria. E não foi. Até você chegar.

Você, que chegou tão de mansinho, deixando no ar e esperando que eu fosse pegar tudo isso que você quis me mostrar desde o início. Você, que chegou, pediu licença, que teve que bater mais de uma vez, sorriu quando entrou e sem nem virar as costas, trancou a entrada atrás de você.

Eu sinto que você já sabia que seria você. Eu já percebi e desconfio de que pra sempre será assim, você sempre vê tudo antes de mim. Você me viu antes de eu te ver. Você sentiu antes de eu saber se poderia sentir também. Você já estava comigo e eu não poderia estar mas feliz de finalmente estar com você.

Você é a coisa mais linda que já me aconteceu. Essa também é uma das coisas mais lindas que já ouvi. É uma frase que me faz transbordar de alegria e também de inveja, eu que queria ter te dito isso antes! Não que ordem dos fatores importe, mas eu queria que você também tivesse sentido o arrepio gostoso que eu senti quando ouvi isso de você. Você é a coisa mais linda que já me aconteceu.

Quando eu fecho os olhos, já não está mais no meu controle te ver ou não. É simples, normal e automático. Se eu fecho os olhos agora, a primeira sensação que me invade o corpo é do meu rosto aninhado em você.

É um espaço muito específico da sua anatomia que se encaixa na minha da mais forma mais perfeita que a natureza já viu. O meu rosto que acaricia o seu, os meus olhos que se fecham depois de olharem nos seus e meu corpo que se aninha no seu por inteiro.

Eu sinceramente não sei o que vai ser de nós. É um fato de que a eternidade nos espera. Mas eu não sei o que me espera, dia após dia, te amando como te amo. Tão mais que ontem e, mesmo não terminando o dia de hoje, já sei que é tão menos que amanhã.

Meu coração parece que bombeia mais rápido, impulsiona mais sangue e a cada segundo bate mais agitado quando sabe que está prestes a sentir de pertinho o seu peito que sempre está do meu jeito que o meu.

Todo dia é uma surpresa. Abrir os olhos e te ver. Espreguiçar e te sentir. Te dar bom dia com um beijo e abraço aninhado. Todo dia eu descubro o quanto sou feliz e como eu sei disso! Mas ao mesmo tempo, lá no fundo, a minha alma já me diz que, ao seu lado, eu nem imagino quantas felicidades eu ainda vou sentir.

O para sempre é um caminho muito incerto, mas eu não poderia estar mais feliz por já termos começado a nossa jornada e não consigo me conter de ansiedade pra descobrir todos os caminhos que estão esperando só nos ver. Juntinhos, como sempre.

Eu e você.